Desafio Brasil de Adestramento, curso para juízes e clínicas agitaram o Haras Adal, no Paraná

Na última semana, o adestramento movimentou os praticantes da modalidade no estado do Paraná com vários eventos no Haras Adal, da família Dalcanale, na região metropolitana de Curitiba. Em 13 e 14/9 teve clínica de Adestramento com a amazona Isabela do Valle, oferecida pela CBH, destinada a preparar os conjuntos para a prova do Desafio Brasil e fomentar da modalidade. Ao todo 19 conjuntos tiveram a oportunidade treinar de Isabela do Vale Arenzon, que ficou muito empolgada com o entusiasmo dos cavaleiros e amazonas locais.

Na sexta feira, 17, aconteceu o curso de reciclagem CBH para juízes e formação estadual ministrado pela juiza internacional 4* Sandra Smith. No primeiro dia, o enfoque foi a reclicagem em que os participantes tiveram a oportunidade de revisar pontos importantes do regulamento e discutir as alterações dos últimos anos, contando com debates de casos concretos. O curso se encerrou no sábado à tarde com uma explicação e demonstração das andaduras dos cavalos, escala de treinamento e exercícios. “Os participantes estavam muito interessados e fizeram diversas perguntas, contribuindo com muito entusiasmo, o que enriqueceu bastante o curso”, ressalta Sandra Smith.

Já sábado, 18, pela manhã, foi realizada a inspeção veterinária, momento em que os concorrentes aprenderam como devem apresentar os cavalos e já se prepararem para a inspeção do Campeonato Brasileiro de Adestramento. A seguir, começou o Desafio Brasil de Adestramento, também válido pelo Campeonato Paranaense, que contou recorde de 30 inscrições e também de público, com ótima organização e cumprimento dos protocolos de prevenção à Covid. Diversas hípicas da região de Curitiba prestigiram o evento e os cursos, inclusive com a participação de praticantes da modalidade Salto.

A cada ano o Desafio Brasil cresce e gera mais frutos. “O evento foi pensado exatamente para esse fim. Não adianta querermos crescer e fomentar e modalidade sem apresentar o Adestramento a mais praticantes de hipismo, nos limitando aos locais em que a modalidade já é desenvolvida. O Desafio Brasil está chegando às escolas, demonstrando a importância da base na formação de atletas e cavalos e com isso a modalidade esta crescendo”, destaca Eliana Azar, diretora de Adestramento da CBH.

“Mediante a quantidade de crianças e participantes da série Juvenil no Desafio Brasil, especialmente no Paraná, além de cavaleiros e amazonas de outras modalidades que demonstraram interesse também pelo Adestramento, muitas vezes absolutamente desconhecidos para esses praticantes de hipismo, confirmamos a importância de levar recursos e apoio a outros Estados. O resultado dos eventos e das clínicas deste ano nos fazem acreditar que esse é o caminho”, acrescenta Eliana.

Como sempre a prova organizada pela diretora de adestramento do Paraná, Cecilia Dalcanale, correu muito bem e a foi organizada nos mínimos detalhes. A premiação foi recheada de mimos especiais para os participantes, muito entusiasmados e pedindo a repetição do evento e da clinica. Ainda no sábado três juízes estaduais fizeram seus shadow judgings (julgamento sombra) com a intenção de obter os pré-requisitos para postularem o curso de ingresso no quadro nacional.

No domingo, 19, muito ensolarado, aconteceu a clínica na qual os juízes Sandra Smith (FEI4*) e Ricardo Leão (CBH oficial do Rio Grande do Sul) ministraram aulas aos 16 melhores resultados do Desafio Brasl do dia anterior. Cada juiz ministrou a clínica a oito conjuntos, fechando a semana com um resultado muito positivo dos cavaleiros do Estado.

O novo formato do Desafio Brasil neste ano, com a participação de dois juízes em cada evento, propiciou que o dobro de conjuntos participasse das clínicas e depois das provas, com direito a feedback dos juízes e orientações relevantes para o aperfeiçoamento dos cavaleiros, o que tem agradado bastante os praticantes. O evento tem se mostrado uma ótima oportunidade para que juízes de diferentes Estados vivenciem a experiência de viajar e julgar novos conjuntos, mantendo sua atividade no quadro, permitindo, ainda, que novos juízes estaduais tenham a oportunidade de acompanhar as provas e os julgamentos em conjunto com os juízes da CBH.

Iniciante Juvenil – 9 conjuntos
1º Yasmin Soares / Fire – 65,100%
2º Isabela Loicono Gavazzoni / Duque – 64,895%
3º Manuela Sales / Fire – 64,855%

Iniciante Amador – 1 conjunto
1º Gracielle Greco / Chello – 61,045%
Elementar Juvenil – 5 conjuntos
1º Letícia Lobato / MK Serena – 68,02%
2º Brayan Carneiro / Atleta – 64,31%
3º Pietra Coccioli / Vulkan – 63,26%
Elementar Amador – 6 conjuntos
1º Alexandra Moutinho de Souza Benites / Dakota – 65,085%
2º Alexandra Moutinho de Souza Benites / Sunny Boy – 64,83%
3º Cezar Miyashiro / Passion – 64,480%
Preliminar Amador – 2 conjuntos
1º Cecilia Ortega Lyng Dalcanele / Quattar Adal – 64,785%
2º Maria Francisca Mohr / Mustang – 60,29%
Preliminar Profissional – 1 conjunto
1º Thiago Asinelli / Kawai HSF Casa do Ceramista – 63,355%


Preliminar Juvenil – 1 conjunto
1º Alexandre Mendes de Oliveira / Hamor Bella – 64,645%

Média I – 2 conjuntos
1º Monique Cristine Ferreira da Silva / Brigitte – 63,340%
2º Peterson Wosniack de Paula / Centauro MN – 62,260%
Média II
1º Juliana Ribas / Mufassa – 62,960%
Forte I
1º Cintia Cimbaluk / Cortes CPAE – 63,220%

Fonte: CBH

Bem sucedido Desafio Brasil de Adestramento no Haras Adal, no Paraná, fecha ciclo das seis etapas em 2019

No sábado, 2/11, o Desafio Brasil de Adestramento 2019 chegou ao Paraná no Haras Adal, na região de Curitiba. Essa foi a 6ª e última etapa do Desafio que visa o fomento do Adestramento pelo país afora. As primeiras cinco etapas rolaram no Manège Gama em Brasília e no Clube Hípico de Santo Amaro (SP), ambas em agosto, no 3° Regimento de Cavalaria de Guarda, em Porto Alegre, na Fazenda Boa Vista, no sul de Minas Gerais, em setembro, Sociedade Hípica Brasileira, no Rio de Janeiro, em outubro. Em Porto Alegre e no Rio de Janeiro, o julgamento e esteve de Claudia Moreira de Mesquita e nas demais etapas coube a Sandra Smith de Oliveira Martins, também diretora da CBH, ambas juizas internacionais 4*.

“Aqui em Curitiba, fiquei muito feliz com o desenho das provas principalmente crianças fazendo bons circulos, o que não é comum a gente ver. É realmente muito bom esse capricho na iniciação dos mais jovens”, destacou Sandra Smith de Oliveira Martins, que também ministrou o curso de reciclagem para juizes estaduais. “A prova no Haras Adal foi muito bem organizada em cada detalhe e também ficou bom juntar Desafio Brasil com o Campeonato Paranaense, a exemplo do que aconteceu em Minas Gerais, também aproveitando a presença do juiz da CBH”, acrescentou a juiza e dirigente. “No curso de reciclagem revimos movimentos, regulamentos e analisamos alguns vídeos. Foi muito importante e rendeu elogios de cavaleiros e juizes. No domingo, ao invés da clínica para os melhores conjuntos, acabei julgando o Campeonato Estadual.”

Também vale destacar que na temporada 2019 houve um aumento do número de jovens em provas de adestramento. “Agradeço ao apoio da CBH pelo apoio ao Desafio Brasil o que refletiu no aumento da participação e novos adeptos da modalidade”, resume Sandra. Carlos Boson, paulista radicado no Paraná, atuou como juiz ao lado de Sandra Smith Oliveira Martins. No Desafio Brasil conforme a regra só o resultado do juiz em C é válido e a cada etapa nos diversos estados são somados os três melhores índices cuja soma define o Estado campeão do Desafio Brasil. Lembrando que as categorias Escola, Iniciantes e Cavalos Novos não são válidas pelo Desafio.

O evento no Haras Adal contou com exímia organização de Cecilia Ortega Lyng Dalcanale, diretora de adestramento da Federação Paranaense de Hipismo, que também competiu e treina a maioria dos participantes que competem pelo Haras Adal, que pode ser considerado o principal polo da modalidade no Paraná. Todos os cavaleiros e amazonas quando saiam da pista ganhavam um saquinho com cenoura e maçã para o cavalo e os premiados também receberam um ramo flores no pódio com direito a decoração especial e tapete vermelho. “Tudo foi muito caprichado e deu valor à disputa”, resumiu Sandra.

O melhor índice no Desafio Brasil no Paraná foi de Alexandra Moutinho de Souza Benites que montando Dakota registoru 67,88% com vitória na reprise Elementar Amador. O 2º melhor índice foi da anfitriã Cecilia Ortega Lyng Dalcanale com Quattar Adal, 65,78%, garantindo vitória na série Preliminar Amador.

Os juizes Sandra Smith de Oliveira Martins e Carlos Boson também foram homenageados com um ramo de flores

Alexandra Moutinho de Souza Benites com Dakota garantiu o melhor índice no Desafio Brasil no Paraná com vitória série Elementar Amado

Veja a seguir como ficou o placar do Desafio Brasil no Paraná e aguarde o resultado oficial com a soma dos três melhores resultados de cada Estado (com todos ids devidamente conferidos).

Desafio Brasil – 2/11/2019

Elementar Amador
1º Alexandra Moutinho de Souza Benites / Dakota – Haras Adal – 67,88%
2º Alexandra Moutinho de Souza Benites / Pibel Adal – Haras Adal – 65%
3º Maria Clara Ovçar de Andrade / Xarpa – Haras Adal – 64,62%
4º Gustavo Campos Hidalgo / Mufassa das Cataratas – MMH – 59,04%

Preliminar Amador Mirim
1º Alexandre Mendes / Rosso Nero – Haras Adal – 63,13%

Preliminar Amador
1º Cecilia Ortega Lyng Dalcanale / Quattar Adal – Haras Adal – 65,78%
2º Juliana Ribas / Ulisses das Cataratas – MMH – 64,22%
3º Cecilia Ortega Lyng Dalcanale / Rosso Nero – Haras Adal – 63,28% (não válido pelo Desafio Brasil)
4º Orlades Matos de Lima Neto / Xarpa – Haras Adal – 64,06%
5º Orlades Matos de Lima Neto / Ballus Adal – Haras Adal – 61,88%

Média I Amador
1º Cecilia Ortega Lyng Dalcanale / Santa Fé – Haras Adal – 63,72%
2º Cecilia Ortega Lyng Dalcanale / Ballerina Adal – Haras Adal – 61,03%
3º Juliana Ribas / Mufassa das Cataratas – MMH – 60,51%
4º Sandra de Almeida / Vernier Itapuã – Haras Adal – 60,26%

Forte I Amador
1º Cintia Cimbaluk / Cortes CPAE – Haras Adal – 63,47% (não válido pelo Desafio Brasil) 
2º Eliana Dutra de Oliveira / Vulcão Itapuã – Haras Adal – 60,83%

Forte II
1º Bruno Gomes / Cortes CPAE – Haras Adal – 63%
Escola (não válida pelo Desafio Brasil)
1º Isadora Fortes Guimarães / Scooby – Haras Adal – 70,71%

Iniciante (não válida pelo Desafio Brasil)
1º Manuela Dias Frizzo / Vulcão Itapuã – Haras Adel – 73,13%
2º Maria Victoria Abreu / Dakota – Haras Adal – 67,08%
3º Cezar Miyashiro / Pibel Adal – Haras Adal – 66,25%
4º Flavia Grilo / Clarita Adal – Haras Adal – 63,13%

 

Texto: CBH

1ª ETAPA DO RANKING DE ADESTRAMENTO PARANAENSE

No dia 02 de abril o Haras Adal sediou a 1ª Etapa do Ranking de Adestramento Paranaense. Com 37 inscritos as provas foram desde a série Escola até a Forte I.

Além das medalhas para os vencedores de cada categoria, houve a premiação oferecida pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos de Hipismo para os melhores animais da raça Brasileira de Hipismo.

Entre as séries Iniciante, Elementar e Preliminar o animal BH com melhor nota foi o Quattar Adal de propriedade da amazona Cecília Dalcanale. Já entre as séries Média I, Média II e Forte I o vencedor dos BHs foi Mufassa das Cataratas, proprietária Juliana Ribas.

Para ver o resultado completo do evento clique aqui.

Mariana Kaiser Almeida dos Santos, campeã da Série Escola

Mariana Kaiser Almeida dos Santos, campeã da Série Escola

 

Melhores BHs da etapa. Quattar Adal e Mufassa das Cataratas

Melhores BHs da etapa. Quattar Adal e Mufassa das Cataratas

 

17757327_1974813466070549_6402996791070266906_n

Pódio da categoria Iniciante Amador

 

17424722_1974900286061867_8449142421976591369_n

Pódio categoria Elementar Amador